30

June

Existem livros que NÃO valem a pena serem lidos?

Variados

A coisa mais fácil que existe no mundo em que vivemos é julgar os outros. Julgar pela aparência, pelas atitudes, pelo gosto musical, pelos livros lidos… Sim, pelos livros. Quantas vezes você já viu alguém fazer uma careta quando você mencionou alguma obra que estava lendo ou se viu envolto de preconceito por estar fazendo uma leitura que todos os outros julgam não valer a pena? O que leva um livro não valer a leitura?

image-1626

Nos dias atuais, é possível percebermos que basta você ter um pouco de reconhecimento na internet que já consegue ter seu nome nas estantes das livrarias – como é o caso de inúmeros youtubers (pessoas que possuem canal no YouTube) que estão lançando suas obras com uma facilidade estronda. Ou, ainda, àqueles autores que recebem uma bolada de dinheiro para estenderem suas obras a uma trilogia – a fim de gastarem mais folhas, mas, venderem mais livros. Então, eu te pergunto: vale a pena fazer leituras de obras assim ou estamos diante de um mercado ganancioso que não se importa com a qualidade de seus materiais e apenas com as notas que irão parar em suas carteiras?

Particularmente, acredito que estamos diante de uma via de mão dupla. Sim, existem os que não se importam com o conteúdo ou com a mensagem que irão deixar registrada. Mas, por outro lado, existem os aspirantes a escritores que sempre sonharam em serem lidos – seja lá qual for o tipo de obra publicada pelos mesmos. Você já parou para pensar quantas vezes deixou de ler alguma coisa porque sabia que as pessoas “pensariam” diferente de você se soubessem que você possuía determinado gosto literário? Parei para pensar nessa pergunta após ouvir um comentário de uma pessoa que assiste meus vídeos no YouTube. Ela disse: “eu venho te acompanhando e vi que suas leituras melhoraram bastante”. Melhoraram bastante. Ler romance ou chick lit é decair na qualidade? Ler clássicos me torna uma pessoa mais culta? Trocar Proust por Gillian Flynn me torna uma pessoa ignorante? O que, de fato, é “melhorar” sua biblioteca?

Independentemente da sua resposta, há algo que precisa ficar claro: cada um de nós possui uma vida na qual – não importa o quanto você julga saber a respeito – não é compartilhada. Nossos medos, nossos sonhos, nossos desejos. Há muita coisa que passa pela nossa cabeça – e pelo nosso dia a dia – que não saímos por ai mostrando para todo mundo ver. O tempo nos é cada vez mais limitado e nem sempre conseguimos fazer tudo aquilo que gostamos, na frequência em que gostaríamos. Logo, se o hábito da leitura ainda consegue se manter vivo na nossa rotina – ou no nosso tempo livre – o que há de errado em ler o que tivermos vontade?

Conheço uma mãe de família que é casada e trabalha em turno integral. Ela lê muito – muito mesmo – mas, seus gêneros não são outra coisa a não ser livros eróticos. Sim, isso mesmo. Eróticos. Ela me disse que lê mais de 100 livros por ano e que não consegue deixá-los de lado. Por isso, eu te pergunto: isso a torna uma leitora sem qualidade julgando-a nos livros que lê? E quanto àqueles que nunca leram nada – a não ser “Cinquenta Tons de Cinza” – e dizem que este é o seu livro preferido de todos os tempos. Há algo de errado nisso? Há algo de errado em alguém que descobriu em livros assim (ou em obras “água com açúcar” estilo Nicolas Sparks), a paixão pela leitura? Não importa qual seja a sua opinião, existe uma coisa incontestável – há algo mágico nos livros que dificilmente encontramos em outro objeto: o poder de nos transportar para outro mundo e outras culturas sem nos tirar do lugar. Então, seja lá qual for a sua realidade pessoal, não há nada de errado em ler livros de pessoas que você acompanha pela internet ou livros que tenham uma enorme pitada de surrealismo. Afinal, eles podem ser tudo o que você precisa para “desligar” dos seus problemas e conseguir aproveitar o seu tempo – que cá entre nós, é extremamente limitado – através da leitura de uma realidade diferente da sua.

Se você gosta do assunto, leia. Se você gosta do autor, leia. Se você viu que a obra foi adaptada pelo cinema e por isso ficou interessado na mesma, leia. Se algum amigo ou pessoa que você gosta te recomendou, leia. Simplesmente leia. Há sempre algum conhecimento a ser agregado ao término de uma leitura – nem que seja uma palavra que você não sabia se se escrevia com x ou com ch e acabou descobrindo após lê-la no livro.

E não se esqueça: no final do dia, é a maneira que você é como pessoa e o caráter que você cultiva – e não o gênero dos livros que você lê –, o que realmente importa.





Comente pelo Facebook:

Ou comente por aqui:

3 Respostas para "Existem livros que NÃO valem a pena serem lidos?"

Cailes Sales
12, July 2016 às 13:37

Olá Jordana!
Simplesmente fascinada pelo seu texto, pois ele traz exatamente a minha opinião acerca do preconceito literário, que, assim como outros tipos de discriminação é totalmente incabível. Adoro quando leio textos como o seu, quando vejo blogueiras refletindo sobre um assunto tão importante e, o mais importante, quando leitores sabem respeitar o gosto literário do outro e entende que o essencial é o amor pela leitura, que o importante é ler.
Realmente amei o texto, sem falsas bajulações.
Adorei!
Bj!

http://bloghistoriasliterarias.blogspot.com.br

Responder


Cailes Sales
July 12th, 2016 em 1:39 pm
respondeu:

Percebi que houve um excesso de “importantes” no comentário rsrs foi a empolgação.

Responder


Jordana Rex Jordana Rex
July 22nd, 2016 em 12:38 pm
respondeu:

Oi, Cailes querida! :) Fico muito contente que você tenha gostado do texto, viu?! Eu realmente acredito que o que importa não são os gêneros que lemos, mas sim, lermos! Sempre é possível aprendermos alguma coisa através de uma leitura feita.
(E cá entre nós, vale muito mais a pena do que ficarmos o dia inteiro navegando na internet sem absorver nenhuma informação, não é?! heheh!)
Beijo grande pra você! ❤

Responder

Queridinhos da Estante • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Ilustração por Juliana Rabelo • Desenvolvido por